Condenado à morte, um soldado francês implorou a Napoleão que lhe perdoasse.
– Não posso consentir no que me pedes – respondeu o Napoleão.
– Senhor, confesso ter perpetrado o crime de que me acusam e reconheço que devo ser castigado; mas o género de morte que me destinais é horroroso.
– Sendo só isso o que te inquieta, poderei conceder-te um favor.
– Qual, senhor?
– Escolheres a maneira como preferes acabar a vida.
– Mil vezes obrigado, senhor. Aceito.
– Escolhe: como queres morrer?
– De velhice.