Um jovem advogado abre o seu consultório.

Ao fim de três dias sem um único cliente, eis que finalmente um homem entra pela porta.
Apressado, o advogado pega no telefone e simula uma conversa:

– Ai sim? E o que lhe disseram? Que somos os melhores? Pois, é o costume, sabe como é… Olhe, fico contente por termos resolvido o seu caso, ainda para mais tendo em conta que era um caso tão difícil. Muito bem, concerteza, até breve e obrigado.

E, pousando o telefone, diz ao senhor que tinha entrado:

– Em que posso ser útil?

– Eu sou da PT… vim ligar o telefone…